“Deus nos permitiu realizar milagres”, diz pastor sobre evangelismo em tribo que não conhecia o Evangelho

A República da União de Mianmar é um país localizado no sul da Ásia continental, fazendo fronteira com a China. A região foi envolvida durante muitos anos em vários conflitos étnicos e militares, alguns dos quais permanecem até hoje. Há denúncias de genocídios de alguns grupos minoritários, promovido pelo próprio governo, mas também de que Deus está agindo poderosamente na região, assolada por esses conflitos.

Em uma série de entrevistas realizadas por uma conferência no país, organizada pela Global Disciples, vários pastores testemunharam o agir de Deus na região. Segundo Matthew, um dos organizadores do evento, “nos últimos três anos, Deus abriu a porta para o Evangelho em Myanmar. Mas não sabemos por quanto tempo estará aberta”, disse ele.

Essa pregação do evangelho acontece principalmente nas aldeias, onde a população nunca havia conhecido o nome de Jesus Cristo. Imo, um dos pastores entrevistados, contou como fazem para alcançar essas pessoas: “Pela graça de Deus, fomos de aldeia em aldeia, e muitos aceitaram Jesus como seu Salvador. Fomos a alguns lugares inacessíveis por barco ou moto. Então fomos a pé”, disse ele.

Os relatos de milagres foram uma consequência desse trabalho. “Durante nosso evangelismo, Deus nos permitiu realizar milagres em três lugares. Um irmão não podia andar devido a um problema no joelho e depois que oramos ele conseguiu andar”, disse Imo. “Tudo isso aconteceu não por causa do nosso poder, mas por causa do poder do Espírito Santo”, acrescenta.

Outro milagre ocorreu com uma mãe que não conseguia amamentar seu filho porque não tinha leite. “O bebê estava chorando o tempo todo. Em suas crenças tradicionais eles pensaram que poderiam colocar uma raiz na boca do bebê, mas era pior do que antes. Quando chegamos àquele bebê oramos em nome de Jesus, o choro parou de repente e, para a glória de Deus, depois a família veio à igreja e dedicou seu bebê ao Senhor”, disse o pastor.

O pastor Imo contou também de como é difícil chegar em alguns lugares. A dificuldade de acesso à população não é só geográfica, mas também política e social, já que Myanmar é o segundo país que mais consome ópio no mundo, ficando atrás apenas do Afeganistão.

Outra dificuldade são as tradições religiosas primitivas, como a feitiçaria. No entanto, o pastor Imo contou que a pregação do evangelho é libertadora, precisando apenas que a Verdade seja anunciada para que Deus faça a sua parte.

“Alguns lugares não são acessíveis por motos, e nós tivemos que andar o dia todo e também durante a noite para alcançá-los. Quando fizemos nosso treinamento e divulgação, 10 pessoas se entregaram a Jesus. Um homem chamado Tan era um líder em feitiçaria, mas quando chegamos a ele com o evangelho ele deixou sua feitiçaria para seguir a Jesus”, disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *