Cristão não pode ser de esquerda, defende teólogo.

O pastor Jonas Madureira, da Igreja Batista da Palavra, em São Paulo, publicou um vídeo no canal Perguntar Não Ofende falando sobre o “marxismo cultural” e abordou suas influências em diversas áreas da sociedade.

Ele deixou claro que essa influência não é apenas sobre as esferas econômicas e políticas. Citando vários teóricos dessa ideia de que a “revolução comunista” deveria envolver também o “modo de pensar” das pessoas.

Madureira lembrou que o marxismo não deu certo em lugar nenhum do mundo, sendo “uma violência à dignidade humana”, como mostra a história. “O marxismo cultural tem contaminado diversos aspectos da sociedade, não é uma visão apenas econômica e política… Essa invasão passou a se tornar uma invasão horizontal, alterando a maneira com que as pessoas pensam, influenciando sobretudo a educação, a mídia e o direito (justiça)”, resumiu.

Quando uma mentalidade domina essas três esferas, passam a ditar os padrões culturais. A partir do entendimento da força desse tipo de pensamento, o marxismo cultural passou também a ser um influenciador da religião.

Ao falar sobre a possibilidade de um cristão ser “de esquerda” ou marxista, foi enfático: “É como se a gente estivesse perguntando se o cristão pode ser ateu. A cosmovisão socialista em seu sentido puro, fundamental é anticristã, antagônica à fé cristã”.

“Não podemos dizer que as coisas são inerentemente más, a cosmovisão socialista tem ‘boas linhas’, que até refletem a boa dádiva de Deus, mas não é completamente adequada a realidade que a gente vive”, encerrou.

Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Evangélico do Betel Brasileiro em São Paulo e mestre em Filosofia pela PUC-SP, Madureira é teólogo e trabalha como editor na Editora Vida Nova, a mais influente do meio acadêmico evangélico brasileiro.

Assista:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *