A maldição da igreja irrelevante

O que torna uma igreja irrelevante? Como saber se minha igreja possui relevância para o Reino de Deus?

Apesar de parecer complexo o tema, não é necessariamente difícil reconhecer uma igreja irrelevante. A relevância tem a ver com a participação da igreja na comunidade onde ela está inserida, e como essa mesma igreja afeta a sua localidade, pessoas ou cidade?

A grande maioria das igrejas, independentemente de seu tamanho, sejam elas pequenas, médias e grandes, possuem grande IRRELEVÂNCIA para o Reino de Deus. Por isso cada vez mais as igrejas estão se tornando redutos de platéias, consumidores e participantes descomprometidos com o Evangelho. Estes são alguns sinais negativos, e que definem uma igreja como irrelevante:

1. A Palavra da Igreja é Descontextualizada.

A pregação desta igreja não possui relação com a realidade de vida das pessoas, a abordagem do sermão não respeita a época, nem percebe as demandas sociais modernas. Muitos sermões não trazem o Evangelho pra vida real das pessoas. Divórcio, drogas, homossexualidade, violência, etc…são temas que não reconhecemos ou ouvimos na maioria dos púlpitos de hoje.

2. Essa Igreja não compreende sua Missão.

As igrejas hoje podem até possuir um texto no site ou mesmo um estatuto interno que cita missão, visão e valores, mas na prática, essa igreja vive de modismos e a cada 2 ou 3 anos muda de “visão” ou processo de trabalho, por não compreender seu chamado local e ministerial. Não persevera naquilo em que ela foi chamada à fazer, na sua vocação dada pelo Cabeça da Igreja, à saber o Cristo.

3. Essa igreja é voltada apenas para as suas programações internas, e os ministérios servem apenas para alimentar a própria estrutura local.

Uma igreja irrelevante vive para si mesma. Nada é mais contra o Evangelho do que isso. Está envolvida com seu próprio umbigo e demandas estruturais. Ela nunca está atenta ao que acontece ao seu redor. Ela não é do bairro e para o bairro. A real motivação dela é a estrutura local e seus planejamentos de liderança. Ela vive seus domingos para pagar as contas de suas segundas. Nada mais sem relevância do que isso.

4. Essa igreja não possui engajamento social e não promove transformações, apenas transtorno para si e para as pessoas que passam por ela.

A Igreja deveria expressar o amor de Deus as pessoas através de engajamento social, teológico, institucional e espiritual, mas está longe disso. Hoje uma grande parte de pessoas, está longe delas, enraivecidas, dispostas a encontrar Deus em outros redutos. Por que? Exatamente pela maldição da irrelevância cultural, social, teológica, institucional e espiritual. A Bíblia fala de um Deus que toma a iniciativa, de um Cristo que busca a humanidade com amor e com compaixão, que quer dar vida e dignidade à sua criação. Isso foi ilustrado de maneira extraordinária por Jesus, quando, em seu ministério terreno, manifestou o interesse de Deus por todos os tipos de pessoas e pela pessoa integral.

O que Deus espera da Igreja é que ela seja a sua nova sociedade, a encarnação viva do evangelho. Viver como Ele viveu, amar como Ele amou, sentir como Ele sentia, é fazer Jesus Cristo vivo entre nós através do Espírito Santo. Ser uma igreja que resgata, cura, liberta, transforma e salva o ser humano em Cristo Jesus, é ser uma comunidade de amor que ama uns aos outros, faz visível, para o mundo, o Deus invisível. Isso é a revelação de Deus que nos torna relevantes para o mundo.

* Por Bruno dos Santos, publicado originalmente no Portal Guiame. O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Canal Cristão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *