O Pr. Carlos Sobrinho nos fala sobre o justo juízo de Deus.

Vivemos num tempo onde todos se sentem aptos a julgar. Muitas vezes falta amor e graça nas atitudes, porque as mesmas são movidas por um sentimento de superioridade que o papel de “juiz” trás. Mesmo porque, em sua maioria esses julgamentos ignoram os comportamentos e ações pessoais e colocam aquele que julga num “altar de perfeição”. Mas será que tem algum justo nessa terra apto a julgar?

A bíblia nos responde de forma clara no capítulo 2 do livro de Romanos onde diz “Portanto, você que julga os outros, é indesculpável, pois está condenado a si mesmo naquilo em que julga, visto que você, que julga, pratica as mesmas coisas”.  Esse é o tipo de texto que quando acabamos de ler pensamos logo em “Vixe! Eita meu Deus!” (risos).

Mas o texto diz mais coisas extremamente interessantes, que se prestássemos atenção viveríamos de forma muito mais alegre e melhor. No verso 2, afirma “Sabemos que o juízo de Deus contra os que praticam tais coisas é conforme a verdade”. Vixe de novo! Isso porque a conversa é reta e simples. É mais ou menos assim: você receberá de acordo com o que você faz! Inclusive tal afirmação é confirmada no verso 6 do mesmo texto.

Que bom seria se ouvíssemos e praticássemos essa palavra! Se antes de julgarmos os irmãos da igreja, da família e inclusive os que não são cristãos olhássemos para a nossa vida. Você tem feito a sua auto analise? Aqui quero chamar atenção para algo que considero importante. O texto bíblico não nos chama a sermos “certinhos” para podermos julgar. Isso é importante! A orientação é para não julgarmos! Isso mesmo. Nos versos 5 a 8 Deus nos mostra que precisamos deixar de ser teimosos e parar de acumular ira contra si mesmo, pois no dia da ira de Deus, o justo julgamento se revelará. Traduzindo, como minha vó dizia: Você será medido com a mesma régua que medir os outros.

Assim sendo, se começarmos a medir os outros com a régua do amor, do serviço, e da comunhão  estaremos atraindo a mesma régua, de Deus, para nós. No tempo difícil de hoje, é preciso dar uma resposta ao “modus operandi” do mundo com algo diferente e sobrenatural: o amor!

Seja diferente. Não julgue. Ame!

Carlos Sobrinho é Pastor da Santa Geração Church – Lauro de Freitas – Bahia, Consultor em Comunicação, CEO Canal Cristão e DNA de Sucesso, Palestrante e Conferencista. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *