Movimento feminista está fortalecendo a bruxaria, diz pesquisador

Um número crescente de mulheres jovens, impulsionadas pela política feminista, estão sendo atraídas para uma nova onda de feitiçaria, de acordo com um relatório da NBC News. Para esclarecer o assunto, o autor e pesquisador Joe Carter alertou os cristãos sobre a prática satânica, que pode estar disfarçada de costumes aparentemente inofensivos.

Joe começa explicando que a feitiçaria refere-se à cosmovisão, “religião e práticas associadas ao uso de rituais que são acreditados para aproveitar e focar energias cósmicas ou psíquicas para trazer alguma mudança desejada”. Ele ainda diz: “A feitiçaria moderna é o maior e mais comum subconjunto do neopaganismo, um grupo diverso de movimentos religiosos que afirmam ser derivados de religiões pagãs históricas”.

“Dentro do movimento de avivamento de bruxaria, o maior subconjunto é a Wicca. O American Religious Identification Survey de 2008 estimou que nos Estados Unidos havia cerca de 600 mil neopagãos, com cerca de metade se identificando como wiccanos. Algumas estimativas concluem que em 2017 havia mais de 3 milhões de praticantes wiccanianos , ressalta o pesquisador.

Joe ainda coloca: “No uso moderno, o termo ‘bruxa’ é considerado neutro quanto ao gênero e pode ser aplicado tanto a homens quanto a mulheres. O termo ‘bruxo’ é muitas vezes considerado um termo depreciativo, já que o uso original do termo significava ‘juramento’. Um grupo de bruxas que se reúnem regularmente é conhecido como ‘coven’. Algumas bruxas acreditam que um coven deve ter 13 ou menos membros, embora não menos que três”.

Contexto histórico

A Wicca foi criada na década de 1940 por Gerald Brosseau Gardner (1884-1964), um funcionário público britânico aposentado, ministro ordenado da seita cristã conhecida como a Antiga Igreja Britânica. Gardner é considerado o “pai da feitiçaria moderna”, embora suas crenças neopagãs quase não tivessem conexão com formas antigas de feitiçaria.

Sua marca de wiccanismo (algumas vezes chamada de bruxaria gardneriana) foi retirada de influências mais modernas, como a Maçonaria, a Ordem Hermética da Golden Dawn e o ocultista inglês Aleister Crowley. Gardner referiu-se ao seu sistema de crenças como “feitiçaria” e “culto às bruxas”, e o termo “Wicca” só apareceu em 1962.

Nas décadas de 1960 e 1970, a Wicca se espalhou do Reino Unido para outros países de língua inglesa, tornou-se associada aos crescentes movimentos feministas e ambientais e se dividiu em várias “tradições”. Da Wicca Gardneriana surgiram ramificações como a Wicca Alexandrina, Algic Wicca, Wicca georgiano, Wicca Druídica, Seax-Wica e Wicca Eclética.

O governo dos EUA reconheceu oficialmente a Wicca como uma religião em 1985. Em um caso envolvendo um prisioneiro (Dettmer v. Landon), o governo federal argumentou que a doutrina da Igreja da Wicca não era uma religião porque é uma “conglomeração de vários aspectos do ocultismo, tais como cura pela fé, auto-hipnose, leitura de cartas de tarô e feitiços, nenhuma das quais seria considerada prática religiosa sozinha”.

O tribunal observou que o governo estava essencialmente argumentando que “por achar que a feitiçaria é ilógica e internamente inconsistente, a feitiçaria não pode ser uma religião”. O tribunal de apelações decidiu que “a Igreja da Wicca ocupa um lugar na vida de seus membros paralelamente ao das religiões mais convencionais. Consequentemente, sua doutrina deve ser considerada uma religião”.

Magia

Joe Carter explica que uma crença central comumente compartilhada da Wicca (assim como outras formas de feitiçaria moderna) é a aceitação e prática da magia. “A visão wiccaniana é semelhante à de Aleister Crowley, que definiu a magia como ‘a ciência e a arte de causar mudanças em conformidade com a vontade’”.

“Além da crença na magia, existem poucas crenças que todas as tradições wiccanas compartilham. A crença mais comumente associada à Wicca é uma variação da Wiccan Rede (ou conselho). Acredita-se que tenha sido formulada pela sacerdotisa wiccaniana Doreen Valiente no início dos anos 1960. A Wiccan Rede é declarada como: ‘Não prejudique ninguém, faça o que quiser’”, explicou.

Com informações do The Gospel Coalition

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *