Estudante é proibido de citar Jesus em discurso de formatura, nos EUA

Um jovem de 18 anos planejava agradecer a Deus em sua formatura, mas foi impedido pela escola de fazer referências a Deus durante seu discurso.

Sam Blackledge, que foi escolhido como orador da turma na escola West Prairie High School, em Illinois, nos Estados Unidos, se preparava há alguns meses para falar sobre o amor de Cristo aos colegas de classe.

No entanto, depois que entregou seu discurso aos funcionários da escola, o estudante foi forçado a remover todas as referências religiosas apenas dez minutos antes de discursar.

“Sempre há pessoas que vão contra o que eu tenho a dizer, nem todos sempre concordam, mas acredito que essa seja a verdade. Isso impactou minha vida e eu queria compartilhar a esperança de Cristo com os outros”, disse Blackledge à rede KFVS-TV.

O discurso do jovem era centrado em torno de quatro temas: mal, justiça, amor e perdão. Em sua mensagem, ele conectou os quatro pontos a Jesus.

“Cristo veio para nos mostrar a justiça de Deus ao lidar com a injustiça do mundo”, Blackledge planejava discursar. “Enquanto você procura bondade, justiça, amor e perdão, saiba que só Deus é grande o suficiente para prover isso para você”.

Inicialmente, os funcionários da escola não queriam deixar o estudante realizar nenhum discurso, de acordo com o advogado do adolescente, Jeremy Dys. No entanto, eles cederam e permitiram que fosse feito um discurso “genérico” sem nenhum comentário religioso.

“A coisa mais importante na minha vida é Cristo. Ele é a única razão pela qual eu me tornei o orador da turma. Ele é a razão pela qual eu fechei com 10. Se não fosse por Ele, eu não estaria lá em cima. Eu estava dando a Ele o crédito por isso”, explicou o garoto.

Segundo o Instituto First Liberty, a escola violou os direitos constitucionais de Blackledge. “Acreditamos que o distrito escolar agiu de forma errada contra a Constituição. Vamos determinar exatamente quais são as melhores ações a serem tomadas depois disso”, declarou a organização.

Apesar da censura, Blackledge tem recebido o apoio de muitos na comunidade. “Até mesmo as pessoas que eu não conheço e nunca vi antes vêm até mim e me perguntam se eu sou o garoto que isso aconteceu. Então, elas dizem que estão do meu lado e eu valorizo muito esse apoio”.

Com informações do kansas City

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *